Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação e para fins estatísticos. Saber mais

História

De 1870 aos dias de hoje

História
1870

Nasce o Sonho na Quinta da Aveleda

1870

Manoel Pedro Guedes, torna-se o herdeiro legítimo da Quinta da Aveleda, em 1870. Nesta altura, são construídos os muros e o portão principal da Quinta, delimitando toda a propriedade. Começa também a criação do jardim romântico - um lugar surpreendente, onde o espanto e a diversão se cruzam numa atmosfera quase irreal e mágica. Manoel Pedro define um novo caminho para a Quinta da Aveleda, com a plantação de vinha ao estilo francês, com castas separadas na vinha. Foi construída uma adega com capacidade para 280 pipas de vinho, quando a Quinta da Aveleda produzia apenas 12 pipas e Manoel Pedro defende a sua visão com a frase, “O futuro desta casa será o vinho”. Assim começa o sonho de Manoel Pedro Guedes de cuidar da Quinta da Aveleda e que será perpetuado ao longo de várias gerações.

1888 e 1889

Vinhos premiados internacionalmente

1888 e 1889

Os vinhos Aveleda conquistam as primeiras medalhas internacionais pela qualidade dos vinhos: medalha de Ouro na Exposição Internacional de Berlim e medalha de Prata na Exposição de Paris. Começa uma epopeia de sucesso, que vem a tornar os vinhos da Quinta da Aveleda conhecidos e apreciados pelo mundo fora.

1922

Roberto van Zeller Guedes

1922

Neto de Manoel Pedro Guedes junta-se ao seu pai na Quinta da Aveleda com apenas 23 anos. Roberto van Zeller Guedes é um apaixonado por vinho, pela natureza e pelas artes e com ele nasce uma das marcas que faria história no sector do vinho em Portugal: Casal Garcia. Sempre grande defensor dos valores familiares, Roberto propugnou a união da família centrada na casa da Quinta da Aveleda e na exploração vitivinícola da propriedade. Assim as estadias na Casa da Quinta passaram a ser regulamentadas de forma que cada ramo pudesse disfrutar de uma estadia de um mês por ano, e assim desenvolver nas gerações seguintes uma ligação duradoura, que até hoje se mantém.

1926

Fernando Guedes da Silva Fonseca, um homem de família

1926

Fernando Guedes (da Silva), filho de Manoel Pedro, foi um homem de família. Teve sete filhos com a mulher Maria Helena van Zeller, três rapazes e quatro raparigas. Compra metade da Quinta da Aveleda ao seu irmão e também herdeiro, Manuel Guedes (da Silva), unindo a propriedade e tornando-a indivisível. Para além de construir a casa nova que hoje conhecemos na Aveleda, inspirada nos belíssimos châteauxs de bordéus, Fernando Guedes instalou a fonte das quatro irmãs em homenagem às suas quatro filhas e às quatro estações do ano. Fernando Guedes ajudou a fundar a CVRVV em 1926, criando assim, uma entidade de certificação de qualidade da região dos Vinhos Verdes.

1939

Uma marca icónica: Casal Garcia!

1939

Fascinado pela beleza fulgurante das vinhas na paisagem, Eugène Hélisse visita pela primeira vez a Quinta da Aveleda em 1937 e conhece Roberto van Zeller Guedes, neto do fundador. Depois de várias conversas e ensaios, em 1939 é lançado um vinho de cor clara e límpida, muito fresco, aromático e equilibrado ao qual se deu o nome da vinha que lhe deu origem: Casal Garcia.

1942 a 1965

Expansão da adega

1942 a 1965

Estes foram os anos que viram os vinhos da Aveleda a terem uma procura crescente em Portugal e no mundo. Para fazer face ao sucesso do Vinho Verde Casal Garcia e da Quinta da Aveleda, Roberto van Zeller Guedes realizou novas construções, incluindo a nova adega das Figueiras com capacidade para 475.000L e a mecanização da linha de engarrafamento.

1960

Pela flora e fauna dos jardins

1960

Um apaixonado pela flora e fauna dos jardins e por ocasião das suas bodas de prata, Roberto inaugurou o Fontanário da N. Sr.ª de Vandoma, Santa padroeira do Porto, um dos lugares favoritos de muitos familiares, colaboradores e visitantes no jardim da Quinta da Aveleda.

1961

Luis Manuel Alves Machado Guedes

1961

O segundo filho de Roberto Guedes, é o primeiro da quarta geração a ingressar na Aveleda para se juntar ao seu tio na área comercial e relações-públicas. Lembrado por todos como um homem encantador, viajou incessantemente pela Europa, Américas, África e extremo oriente para difundir as marcas da empresa. Em 1967, já em conjunto com o seu irmão António, tornou-se CEO e formou os departamentos de marketing e comercial, administrativo e financeiro. Criou o centro de enoturismo e a loja da Aveleda na Quinta, que representava 10% da faturação da empresa. Foi primordial em manter a Aveleda nas mãos da família que lhe dá seguimento hoje, durante a fase em que foram aparecendo diversas OPA’s sobre a empresa entre 1996 e 1998. Morre em 1998, conhecedor do desfecho feliz que a empresa se manteve com os irmãos e as suas filhas.

1965

Sucesso de vendas

1965

A crescente procura dos vinhos Casal Garcia e Aveleda fazem com que a produção atinja os 10 milhões de litros.

1966

António Alves Machado Guedes

1966

António Alves Machado Guedes, filho de Roberto van Zeller Guedes, junta-se à Aveleda depois da morte repentina do seu pai. Dedica o tempo que tinha disponível ao cargo de diretor técnico da Aveleda enquanto frequentava o serviço militar. Viajou pela Argentina, Chile, África do Sul, Califórnia e vários países europeus e apercebeu-se da urgência em transformar os métodos utilizados na viticultura para uns mais adaptáveis à região. Assim se deu a conversão de todas as vinhas da Aveleda a vinha mecanizada, e foram feitas novas plantações em Meinedo e Mondim de Basto. A Aveleda passou a trabalhar 170ha de vinha. Durante as suas funções como administrador, quer, primeiro, com seu irmão Luís, quer, depois, com seu irmão Roberto formaram uma força coesa e responsável, que levou esta empresa ao que é hoje.

1972

Enoturismo

1972

O aumento do turismo na região, e em particular na Quinta da Aveleda, fez com que se adaptassem edifícios com salas de prova e loja, para acolher os milhares de visitantes. A Aveleda torna-se a primeira empresa no país, fora do sector do Vinho do Porto, a iniciar esta atividade.

1980

Modernização

1980

Nos anos 80, foram realizadas a construção e a atualização dos edifícios. Foram também implementados os processos de controlo de qualidade e segurança alimentar. A construção da autoestrada Porto – Vila Real também se concluiu neste período, o que permitiu a que os colaboradores que se encontravam nos escritórios no Porto, fossem transferidos para a Quinta da Aveleda em Penafiel, e assim, num regresso a “casa”.

1997

Roberto Alves Machado Guedes

1997

Roberto Guedes é convidado a integrar a direção da Aveleda em 1997, após uma longa carreira na gestão de diversas outras empresas. A sua experiência de gestão no seu percurso profissional, foram mais-valias para a definição da estrutura acionista familiar e os três pilares da empresa: família, acionistas e colaboradores. As alterações governativas implementadas durante os anos que Roberto Guedes ocupou o cargo como Co-CEO da Aveleda permitiram uma estabilidade económica significativa para a empresa e assim se preparou o caminho para nova geração.

1999

Quinta d’Aguieira

1999

Após uma visita à Quinta d’Aguieira, e ao ficar a conhecer os vinhos que envelheciam na adega da casa há várias décadas, António e Roberto Guedes compram esta propriedade histórica da Bairrada.

2007

Crescimento do negócio

2007

No início do novo milénio, foi estabelecido o contrato de distribuição com a PrimeDrinks em Portugal que se mantém até aos dias de hoje. Em 2007, a Aveleda foi considerada uma das melhores produtoras de vinho do mundo pela revista Wine & Spirits e finalmente, em 2009, é lançada a 2ª referência de Casal Garcia desde a sua criação, o Casal Garcia Rosé.

2011

Aposta na exportação

2011

A Aveleda ultrapassa os 10 milhões de garrafas de Casal Garcia vendidas. Com a crescente procura do mercado americano por Vinho Verde, foi constituída a Aveleda, Inc., importadora de vinhos da Aveleda nos Estados Unidos da América que é também propriedade da empresa.

2013

A quinta geração: Martim e António Guedes

2013

A quinta geração, liderada pelos primos Martim Andersen Guedes e António Azevedo Guedes passam a dirigir a empresa. Os dois de perfis muito diferentes, mantêm uma direção bicéfala que se tem refletido em muitos sucessos ao longo dos últimos anos. António, que seguiu a sua paixão pelo vinho e se especializou na área de viticultura, integrou a Aveleda em 2002 para se dedicar ao projeto da Quinta d’Aguieira. Mais tarde, fica responsável como diretor de viticultura da empresa, até integrar a administração com o pelouro das áreas de produção, viticultura e enoturismo. Martim estudou gestão, e trabalhou no sector financeiro antes de entrar para a Aveleda. Hoje supervisiona as áreas comercial, marketing, I&E e recursos humanos da empresa.

2014

Viticultura revolucionária

2014

Em 2014, deu-se início ao projeto de aumento de vinha própria onde foram adquiridas novas parcelas e plantadas vinhas de acordo com os princípios de viticultura da Aveleda. Nesse mesmo ano, o vinho Aveleda Alvarinho ganhou o Melhor Alvarinho do Mundo no Concours Mondial de Bruxelles e o vinho Quinta da Aveleda (hoje conhecido como Aveleda Loureiro & Alvarinho) ficou no Top 100 Best Buy da Wine Enthusiast.

2016

O início da aposta na região do Douro

2016

Em 2016, a Aveleda adquire uma propriedade no Douro Superior conhecida por “Seis Quintas” e que mais tarde se designa como “Quinta do Vale do Sabor”. Este ano também ficou marcado pelo lançamento de uma nova gama de produtos da marca Casal Garcia; as novas Sangrias que viriam a ser um sucesso logo no ano de lançamento.

2017

Compra da Quinta Vale D. Maria

2017

A Aveleda compra a Quinta Vale D. Maria ao primo Cristiano van Zeller que passa a integrar os acionistas da Aveleda. A Quinta Vale D. Maria é pioneira na criação de um caminho de reconhecimento de prestígio e qualidade dos vinhos DOC Douro. A cada colheita, os seus vinhos são reconhecidos pelos mais exigentes provadores nacionais e internacionais como dos melhores vinhos portugueses. A Aveleda passa a integrar no portfólio uma nova gama de vinhos e uma nova oferta para o mercado.

2019

Empresa do Ano

2019

A Aveleda foi considerada a “Empresa do Ano” pela Revista de Vinhos. A Aveleda inova e dá um passo para uma nova região: o Algarve. É lançada a marca Villa Alvor que presta homenagem aos povos que habitaram o Algarve como os romanos e os árabes e que é reconhecida pela qualidade dos seus vinhos brancos de carácter frutado e expressivo.

2020

150 anos de história

2020

Em 2020, a Aveleda completou 150 anos de história e voltou a quebrar o seu recorde, produzindo até ao final do ano mais de 20 milhões de garrafas. Este ano ficou marcado ainda pelo lançamento de novos vinhos da consagrada marca “Aveleda”, que passou a incluir vinhos com origem em solos diferentes e duas parcelas especiais das vinhas da Aveleda. O destaque, no entanto, é para o vinho que presta homenagem ao fundador, Manoel Pedro Guedes, e de quantidades muito limitadas.